EDIÇÃO
57
15 DE ABRIL DE 2015
Notícias
Remuneração da assistência ao trabalho de parto tem reflexos positivos na rede

Valorizar o trabalho médico e incentivar o parto normal. Esses foram os objetivos que levaram a diretoria da Unimed-BH a implantar a remuneração da assistência ao trabalho de parto, em vigor desde fevereiro de 2015.

“Os médicos estão mais satisfeitos de terem o seu trabalho reconhecido e valorizado. Já percebemos melhora significativa nos índices de parto normal, desde o primeiro mês de implantação da medida. E isso tem representado uma mudança de paradigma, uma quebra de barreira para o médico”, afirma o Diretor Administrativo e Financeiro do Hospital da Mulher e Maternidade Santa Fé, Dr. Clóvis Antônio Bacha, obstetra e especialista em gestação de risco.

Segundo Clóvis, em 2014 a taxa de parto normal na maternidade era de 26%. Após ações de incentivo do próprio hospital e da implantação da remuneração da assistência ao trabalho de parto pela Unimed-BH, este índice chegou a 33%.

“É um ganho duplo. Há um ganho financeiro para o médico. E a maternidade passa a ser vista de acordo com o seu propósito: de ser um lugar para se realizar o parto mais seguro para a paciente, respeitando os preceitos éticos e os seus desejos”, diz.

A ação repercutiu de forma positiva em toda a rede prestadora da Unimed-BH. Nos dois primeiros meses de 2015 houve uma redução de 4% no número de partos cesáreos.

Outras notícias

Informativos